Compartilhe

Pesquisa Global de Empresas Familiares 2021, desenvolvida pela PwC Brasil, contou com a participação de 282 empresas brasileiras e mostrou que 78% esperavam crescer em 2021, enquanto 85% têm essa expectativa para 2022.

Dos negócios entrevistados, 60% têm como prioridade a expansão para novos mercados e segmentos de clientes nos próximos dois anos, já 28% acreditam ter fortes recursos digitais. Mas seja qual for a expectativa da organização, vale ressaltar a importância do conselho de família na empresa familiar.

Com experiência de mais de 35 anos no mundo corporativo e desde 2015 à frente da MORCONE Consultoria Empresarial, hoje trago um artigo sobre a importância do conselho de família, principalmente dentro da jornada de implantação da governança corporativa.

Dentro do ‘dicionário da governança’, disponibilizado pelo IBGC (Instituto Brasileiro de Governança Corporativa), o conselho de família é o órgão responsável por manter assuntos de ordem familiar separados dos assuntos da organização com a finalidade de evitar a interferência indevida na empresa por assuntos de interesse exclusivo da família.

Vale salientar que os objetivos do conselho de família não são os mesmos presentes no conselho de administração, que são voltados exclusivamente para a empresa.

Compreendendo o Conselho de Família na empresa familiar

Dentre as principais atribuições do conselho de família, estão:

  • Assegurar o legado da família, incluindo seus princípios e valores éticos;
  • Definir o código de conduta e ética, que regula as relações entre organização, sócios, herdeiros, sucessores e administradores;
  • Definição de mecanismos para a resolução de casos de conflito de interesses e condições nos casos de saída de sócios;
  • Garantir a proteção das partes em um contexto de conflito;
  • Definir critérios de ingresso de acionistas/cotistas na gestão do negócios
  • Representar as famílias na relação com os demais conselhos da empresa;
  • Serve como um elo de comunicação entre a família e os conselhos de administração;
  • Definição dos interesses de cada membro do negócio;
  • Desenvolvimento do planejamento sucessório;
  • Auxílio na definição dos cargos ocupados por membros do negócio;

Entre outras.

Qualquer decisão em uma empresa familiar reverbera naturalmente em todo o núcleo familiar, já que tratam-se de decisões sobre os rumos da empresa, o que consequentemente afeta todos os membros do negócio, inclusive, aqueles que não estão envolvidos diretamente.

O Conselho de Família na empresa familiar auxilia os membros da organização a encontrarem as soluções para problemas que envolvam as três dimensões de empresas geridas por famílias: propriedade, família e gestão.

O surgimento do conselho de família tem como objetivo primário a prevenção de conflitos e rupturas em negócios familiares.

Minha empresa realmente precisa de um Conselho de Família?

Muitas dúvidas costumam surgir, dentre elas: Se meu negócio já conta com a governança corporativa, ainda assim, será necessário formar um conselho de família?

Sim, até mesmo porque compete à governança corporativa a instauração de ambientes para tomadas de decisão, mas cabe ao conselho familiar o cumprimento da gestão empresarial que engloba a cultura e os relacionamentos afetivos entre os membros da família.

O conselho de família é um grupo criado para a discussão de assuntos familiares e que também atua no alinhamento das expectativas dos membros da família frente à sociedade.

Outro ponto importante a esclarecer é o de que as atribuições do conselho de família não podem ser confundidas com os objetivos presentes no Conselho Consultivo e no Conselho de Administração, ambos voltados apenas à empresa.

Como é formado o Conselho de Família?

O conselho de família é uma instituição formal e pode ser composto por membros familiares ativos na empresa e também por pessoas que não exercem função no negócio.

O recomendado, para equilíbrio, é que o conselho seja composto por um número ímpar de pessoas, o que evitará empate nas votações. O número de pessoas varia de cinco até nove membros, mas essa não é uma regra entre as empresas.

Depois de definidos os membros da família é fundamental consolidar o conselho por meio de uma primeira reunião. Um facilitador externo pode ser indicado para o planejamento e mediar o encontro.

O conselho de família na empresa familiar também tem o objetivo de definir os valores e missão da família. Alguns questionamentos podem ser norteadores no processo, como:

  • Qual a filosofia da família?
  • Quais os valores e crenças morais que são essenciais para nos guiar em nossa conduta enquanto empresa?
  • Quais os princípios por trás de nossa cultura familiar?
  • Por que temos esta empresa?
  • Por que desejamos manter essa empresa?
  • O que nós apoiamos?
  • O que se espera de nós em termos de comportamento e participação?

Principalmente em um caso em que a empresa é nova no mercado, ter um conselho familiar é de extrema importância e será fundamental para estruturar suas decisões ao longo dos anos.

Para se manter no universo empresarial é preciso frequentemente tomar decisões AGORA que refletirão sobre o FUTURO do negócio, portanto, mesmo contando com uma governança corporativa, é indicado ter um conselho familiar para que não se percam os objetivos e a razão de ser da empresa.

É possível contar com um profissional externo para a elaboração do conselho de família e para nortear sobre decisões a serem tomadas pelos membros do negócio.

 

Gostou do conteúdo? Compartilhe. Lembre-se que na MORCONE Consultoria Empresarial pensamos em cada parte do seu negócio, utilizando metodologias e práticas inteligentes. Atuamos com a implantação da Governança Corporativa e transformamos a mentalidade de gestores para o sucesso.

Veja também:

Qual a relevância de um bom Acordo de Cotistas para o sucesso da Empresa Familiar?

Quais as diferenças entre Sucessão Empresarial e Sucessão Patrimonial?


Compartilhe