Compartilhe

Veja por que a falta do capital de giro prejudica a sua empresa e como administrá-lo melhor!

Saber o que é capital de giro  é essencial para manter a prosperidade do seu negócio. Isso porque, essa reserva é usada para o pagamento das contas enquanto o lucro das vendas não é obtido.  Logo, para que o seus funcionários e impostos sejam pagos, a internet da empresa funcione e não falte água ou luz, é preciso que essa quantia seja o suficiente.  Como? Bom, veja mais a seguir!

Descubra- o-que-é-capital-de-giro-e-organize-suas-finanças
Fonte: Foto reprodução

 

Primeiro, entenda o que é capital de giro!

Ah, o capital de giro… No mundo do empreendedorismo esse termo está entre os mais usados. E não é de se espantar, visto que a sua importância está diretamente relacionada à sobrevivência de qualquer empresa.

O motivo?

Bom, o capital de giro está ligado ao fluxo de caixa. Ou seja, nele se estabelece uma relação entre o que entra e o que sai. Portanto, para que uma empresa tenha o seu pleno funcionamento, é necessário que haja um montante financeiro que a mantenha até o pagamento dos fornecedores ou clientes.

Mas como o capital de giro é formado?

O que determina o capital de giro de uma empresa depende de cada caso. Contudo, os principais pilares que influenciam nesse montante financeiro são:

• Valor em caixa;
• Dinheiro guardado no banco;
• Pagamentos a receber.

O que pode acontecer com a falta de capital de giro?

O espírito empreendedor é algo que habita no coração do brasileiro. Uma prova disso é que  uma pesquisa realizada pela Global Entrepreneurship Monitor (GEM) em 2015 e patrocinada pelo SEBRAE no Brasil, apontou que a cada 10 brasileiros adultos pelos menos quatro estão envolvidos na criação de uma empresa.
Contudo, outro levantamento  realizado pelo SEBRAE em 2010, concluiu que a taxa de mortalidade das empresas brasileiras também é grande.

Na época uma mostra com base em 3 mil empresas levantou as seguintes projeções:

• 27% das empresas fecham no 1º ano de atividade;
• 38% no 2º ano;
• 46% no 3º ano;
• 50% no 4º ano; e
• 62% das empresas fecham antes de completarem 5 anos.

Agora, adivinha qual motivo influenciou essa situação?

Na mesma proporção que o capital de giro influencia na sobrevivência de um negócio, a sua falta também estimula a morte de uma empresa.

Em boa parte dos casos, quando os lucros começam a aparecer, os gestores acabam deixando de lado o pagamento das principais despesas. Com isso, após perceberem um fluxo de caixa negativo, recorrem aos empréstimos como solução. O problema dessa situação é que os juros dos empréstimos afogam ainda mais o financeiro, estimulando assim um cenário complexo e de difícil resolução.

Dicas para controlar o seu capital de giro!

Para evitar que o problemas do tópico anterior bata à sua porta, veja abaixo três dicas para controlar o seu capital de giro!

01- Estimule as compras à vista

Ao fazer que o seu cliente entenda os benefícios de realizar compras à vista, você terá um controle melhor das finanças. Já que o pagamento é imediatamente creditado na sua conta corrente ou, o que é melhor ainda, no seu caixa assim que a compra for realizada.

02- Financiamentos apenas como último recurso

Muitas vezes, quando o capital de giro está abaixo do suficiente, é comum que os gestores optem pelo financiamento para aliviar o déficit. Contudo, como já apontamos, o juros do empréstimo pode ser o principal inimigo da sua gestão.

03- Organize o pagamento dos seus fornecedores

Se a sua empresa permite compras com cartão de crédito, você já deve saber que prazo médio para que valor seja creditado na conta corrente leva em torno de 30 dias. Portanto, para não ter problemas com os seus fornecedores, procure negociar os prazos de pagamento, para que nenhuma das partes sejam prejudicadas. O prazo médio de pagamento tem que ser SEMPRE o maior possível.

E aí?  O que você achou deste artigo sobre capital de giro?

Leia também o nosso artigo de Como administrar o dinheiro uma pequena empresa !

Fontes: https://economia.estadao.com.br/noticias/geral,sebrae-27-das-empresas-de-sp-fecham-no-1-ano,33011e
https://revistapegn.globo.com/Empreendedorismo/noticia/2016/02/4-em-cada-10-brasileiros-sao-empreendedores-diz-pesquisa.html


Compartilhe