Compartilhe

Saiba quais são os erros comuns que os empresários cometem

Comumente empresas que estão decidindo se vão crescer ou não, são afetadas por um erro que pode ser fatal para os negócios e inclusive decretar a sua INSOLVÊNCIA, sua falta de liquidez e consequentemente sua falência.

O Crescimento sem Planejamento

Claro que, “menos pior” do que ser conduzido pelo mercado, é a empresa escolher para onde quer ir, porém quando se trata de decidir o crescimento de uma empresa, devemos prestar atenção “em quais cestas estamos colocando os ovos”.

Esse erro pode afetar qualquer empresa em qualquer segmento, sendo Indústria, Comércio e Serviços, inclusive Startups.

Como evitá-lo?

Há várias formas, mas poderíamos começar por testar o investimento usando a ferramenta do Custo Marginal e do Custo de Oportunidade.

Antes de explorar suas relevâncias,vamos entender de forma rápida e prática o que significa cada um deles:

1. O Custo Marginal é o custo que sua empresa tem, toda vez que chega no limite de capacidade e tem que produzir uma unidade a mais, seja de um produto, execução de um projeto, contratação de pessoas, aumento da compra, do estoque ou área logística;

2. Custo de Oportunidadeé a relação entre seguirmos em frente com uma nova oportunidade comparada com não “abraçar” essa oportunidade. Não confunda com ROI (Retorno do Investimento).

erros-comuns-que-os-empresarios-cometem2

 

Mas vamos entender melhor por que esses erros podem ser fatais para os negócios. Vejamos oexemplo a seguir?

Imaginemos que, possuímos uma fábrica, com duas máquinas que produzem canecas premium de argila importada, com a capacidade de duas mil canecas mensais, ou seja, cada máquina produz mil canecas.

Cada caneca é vendida hoje por R$ 120,00 e possui uma margem bruta de 30%, ou seja, R$ 36,00.

Se recebermos um pedido adicional de 10 canecas a mais por mês, necessariamente teríamos que abrir um turno de trabalho a mais, ou comprar uma máquina nova.

Imaginemos a opção de comprar uma máquina nova e ela custe R$ 180.000,00 (fora a mão-de-obra) em um financiamento de 36 parcelas de R$ 5.500,00, ou seja, R$ 500,00 de juros pagos mensalmente.

Situação de Hoje:

  • 2 Máquinas
  • 1.000 Canecas / Máquina de capacidade
  • Venda de 2.000 Canecas / Mês
  • Receita de R$ 240.000,00
  • Margem Bruta de R$ 72.000,00

Situação de Oportunidade:

  • Pedido (Oportunidade) de 10 Canecas a mais por mês
  • Máquina Custa R$ 180.000,00
  • Parcelamento da Máquina (juros mensais) de R$500,00
  • Receita Adicional de R$ 120 x 10 canecas = R$1.200,00
  • Margem Bruta Adicional R$ 36,00 x 10 canecas = R$360,00

Se analisarmos o Custo da Oportunidade dessa transação, temos um desencaixe do fluxo de caixa na ordem de R$5.500,00 para a parcela da máquina, sendo R$5.000,00 do capital e R$500,00 em juros para a geração de lucro de R$360,00.

Estamos “crescendo”, mas lhe parece um bom negócio?

Agora, analisando o Custo Marginal, se optarmos em não atender o mercado como um todo e definirmos que devemos comprar a máquina, quais os impactos iniciais reais?

  1. Ociosidade do Parque Instalado (10 canecas produzidas para uma capacidade de 1.000);
  2. Pressão sobre a Área Comercial para alavancar a Ocupação da Máquina adquirida (isso na melhor das hipóteses, pois grande parte das empresas não o fazem);
  3. Consequente aumento do Custo Unitárioda Caneca, até que eu obtenha a ocupação total do novo equipamento, visto que tenho que diluir a depreciação e demais custos nas canecas que são produzidas;
  4. Queda da Competitividade.

erros-comuns-que-os-empresarios-cometem3

Mas para esse volume “qualquer um” negaria.

Não é isso que vemos diariamente nas empresas. Mais do que isso, o ponto é que, independentemente de o “volume” ser alto ou baixo, esse cálculo deve ser efetuado, para sabermos se o Custo da Oportunidade e o Custo Marginal valem a pena ou não, evitando erros grosseiros de estratégia e gestão.

Claro que você pode afirmar que a abertura da nova capacidade pode gerar mais receita e consequentemente lucro futuro, porém isso só ocorrerá se o processo for feito entendendo se existe ou não mercado disponível, muito além das 10 canecas adicionais, para consumo dos nossos produtos, pelo menos gerando “breakeven” de investimento.

E não se engane! Isso serve para Serviços e para Comércio.Basta você entender o conceito acima demonstrado e aplica-lo no caso de uma nova contratação de pessoal para Prestação do Serviço ou aumento do estoque ou nível de compra para o Comércio.

O que estamos tentando demonstrar é que devemos sempre usar a racionalidade quanto aos investimentos realizados, sem superestimar a nossa capacidade comercial, analisar com cuidado e carinho, entendendo se vamos criar um novo mercado ou vamos ser mais competitivos em custo/atratividade e abocanhar Market Share (fatia de mercado), antes de sair executando investimentos sem justificativas plausíveis para tal.

Investir um tempo em Planejamento é visualizar o futuro em função das decisões presentes.

Decisão equivocada = futuro com problemas

Decisão bem planejada = futuro prospero e perene

Esperamos ter contribuído para seu entendimento sobre como crescer e desejamos muito sucesso nos seus investimentos.

Portanto, erros comuns que os empresários cometem, não deixe isso acontecer também com o seu negócio e faça com que sua empresa cresça.

Veja mais artigos em nosso blog sobre Planejamento Estratégico e Gestão de Empresas.

Texto original em Ferreira Filho Associados com adaptações e comentários de Carlos Moreira, Consultor Sênior da MORCONE Consultoria Empresarial.


Compartilhe