Compartilhe

A importância da gestão de estoque eficiente repercute no aumento da competitividade e redução de custos no processo logístico em uma empresa. É necessário que a mesma busque empenho através de inovações e ferramentas que contribuam para a realização do desempenho logístico.

Neste caso, as operações dos estoques, tem a necessidade de visionar e mensurar seu desempenho para a permissão de economias de armazenagem com relação ao seu mix de produtos, sendo ele um investimento financeiro, pois ele afeta significativamente a disponibilidade de capital de giro da empresa.

A gestão de estoques necessita ser uma das condições fundamentais para haver um equilíbrio econômico e financeiro da empresa.

O estoque é um dos ativos mais valiosos para a empresa que o possui. Nos setores de varejo, manufatura, food service e outros, os insumos e os produtos acabados representam a essência do negócio e a má gestão de estoque pode comprometer, inclusive, a sobrevivência do empreendimento.

Confira: Entenda como fazer um controle financeiro empresarial eficiente.

Ao mesmo tempo, o estoque pode ser considerado como um passivo (não no sentido contábil). Manter um estoque grande incorre diversos riscos para as empresas, tais como, consumo dos recursos de capital de giro, risco de deterioração, roubo, danos, obsolescência ou perda (em caso de produtos perecíveis).

Por essas razões, a importância da gestão de estoque para todas as empresas, independentemente de seu tamanho. Saber quando reabastecer certos itens, a necessidade de compra e produção, o preço de compra – assim como o de venda – é essencial para a manutenção das atividades, o que torna essa tarefa, além de complexa, muito delicada.

Para gerenciar os estoques, as empresas utilizam diferentes ferramentas, tais como controles manuais, planilhas, softwares ERP e, mais recentemente, aplicativos SaaS (Software as Service, ou software como serviço, em português).

Neste conteúdo menciono a importância da gestão de estoque, principais erros cometidos pelas empresas, como evitar perdas de estoque, entre outros.

A gestão de estoque representa a capacidade da empresa de organizar e controlar a quantidade de cada produto em um determinado momento. Além disso, ela permite que a empresa entenda seu mix de produtos e suas demandas, que por sua vez irá determinar as necessidades de compra.

Leia também: Fluxo de caixa – entenda a importância e saiba como fazer.

Outro ponto importante da gestão de estoque diz respeito à valoração dos estoques, ou seja, quanto o estoque vale para a empresa.

Por que a gestão de estoque é importante?

Ter um depósito cheio de mercadorias não é sinônimo de sucesso empresarial, pelo contrário. Isso representa um investimento paralisado. Sendo assim, a importância da gestão de estoque, considerada uma das chaves para o sucesso das empresas, visto que objetiva garantir o estoque ideal para a atividade, ou seja, impedindo que haja excesso ou falta de estoques e assegurando que sempre que um cliente solicitar um produto, ele seja fornecido.

Alguns especialistas defendem que o ideal é que o fluxo de entrada e saída de estoque sejam quase idênticos. No entanto, dependendo da atividade da empresa, as demandas sofrem grande oscilação durante o ano, o que gera a necessidade da empresa construir um estoque de segurança, visto que ficar sem produtos em estoque pode impactar significativamente a atividade do negócio.

Além disso, muitas vezes as empresas conseguem negociações vantajosas com seus fornecedores, caso efetue a compra de grandes quantidades. A depender da situação, pode ser uma boa oportunidade de negócio. A depender da situação pode ser uma grande armadilha, deixando a empresa sem capital de giro e, consequentemente, sem liquidez para honrar seus compromissos em dia.

Principais métodos de gestão de estoque

Existem diferentes métodos de gestão de estoques. Saiba um pouco mais sobre os principais exemplos:

PEPS

PEPS significa “Primeiro a Entrar, Primeiro a Sair”. Trata-se de um dos métodos de gestão de estoque mais utilizados pelas empresas na atualidade. Com a tendência de aumento constante dos preços dos itens de estoque, esse modelo tende a valorizar o estoque pelo valor mais próximo ao praticado no mercado, uma vez que ele será composto pelos itens que foram adquiridos mais recentemente.

UEPS

O UEPS é o contrário da metodologia PEPS. Sua sigla significa “último a entrar, primeiro a sair”. Dessa forma, o produto mais recentemente incorporado ao estoque da empresa é o primeiro que deve ser disponibilizado para as vendas.

Esse método de controle de estoque não é recomendado para empresas que trabalham com produtos perecíveis, e exigem métodos de controle ainda mais elaborados para que a empresa não venha a sofrer com avarias e perda de produtos.

CUSTO MÉDIO

Também chamado de Média Ponderada Móvel, esse método renova os valores do estoque a cada vez que há uma nova entrada de itens, por meio do cálculo de uma média ponderada. A média é o resultado da soma dos valores dos produtos antigos com os valores dos produtos novos, dividida pela quantidade total de itens disponíveis no estoque.

Boas práticas de gestão de estoque para a pequena empresa:

Realize inventários: faça um levantamento de todos os itens presentes no estoque, tal como a disposição dos produtos. Prefira ferramentas como planilhas eletrônicas ou sistema de gerenciamento de estoque.

Informações que necessitam de destaque:

  1. Custo
  2. Fabricante
  3. Categoria
  4. Localização
  5. Validade

Atente-se aos custos e receitas: é importante ficar atento não só aos produtos que mais vendem, mas principalmente àqueles que geram maior lucratividade. Nesse caso, é preciso considerar o preço de venda e possíveis descontos aplicados.

Reúna tudo num único sistema automatizado: terá total autonomia no controle e centralização das informações. Sistemas inteligentes permitem a movimentação dos itens de estoque, controle de insumo e reduz as chances de erros.


Compartilhe