Compartilhe

A governança corporativa (GC) é o sistema responsável por dirigir e controlar os negócios, levando em consideração os desejos das partes interessadas, sendo eles individuais, sociais ou econômicos.

A GC é composta por um conselho de administração em que os membros são nomeados pelos acionistas da organização.

Com mais de 35 anos no mundo corporativo e desde 2015 à frente da MORCONE Consultoria Empresarial, hoje trago um artigo sobre a real importância, para empresas familiares, de trilhar a jornada de implantação da governança corporativa.

Dentre os principais benefícios que uma empresa encontra ao trilhar a jornada de implantação da governança corporativa, estão o ganho de valor no mercado e, além disso, maior facilidade na captação de recursos para expandir as suas operações.

Por muito tempo se falava na GC como prática apenas em empresas de grande porte, mas hoje, independentemente do porte, este é um instrumento fundamental.

Trilhando a jornada de implantação da Governança Corporativa

Basicamente a governança corporativa é responsável por atribuir regras à rotina do negócio, o que confere ao dia a dia mais agilidade, transparência e autonomia às atividades da empresa.

Em empresas familiares contar com a GC é essencial para uma maior fluidez na gestão deste modelo de negócio, preparação da sucessão, geração de valor da própria empresa e para a perenidade do negócio familiar.

Passo a passo, vou demonstrar três pontos que fazem parte da jornada de implantação da Governança Corporativa, para que entenda mais sobre esse ‘mapa de benefícios’ a ser trilhado.

Hierarquia clara

É comum em muitos negócios não existir uma clareza quanto à hierarquia. Colaboradores precisam saber claramente a quem devem responder.

Costuma haver grande confusão quando uma pessoa exerce mais de uma função em times de trabalho diferentes porque ao receber demandas de ambos o lados, tende a ter a sua capacidade de entrega comprometida.

Alguém precisa assumir a liderança direta para momentos de decisão em diversas situações que possam ocorrer na empresa.

Reuniões de acompanhamento de projetos e registros

Também faz parte da jornada de implantação da governança corporativa manter a prática da realização de reuniões entre sócios, Conselho Consultivo ou Conselho Administrativo.

Essas reuniões, com aspetos direcionados ao nível estratégico da organização, têm o intuito de acompanhar os projetos, repassar importantes diretrizes da organização e de elaborar planos de ação com base em metas e indicadores.

Essas reuniões também precisam ser registradas e arquivadas. Quando um novo investidor surgir, por exemplo, recorrerá a este arquivo para a avaliação do negócio desde o início.

Com essa realidade do trabalho remoto cada vez mais forte, esses registros podem ser mantidos em algum serviço de nuvem, o que garante a segurança das informações.

Formação de um Conselho Consultivo

O Conselho Consultivo é responsável por facilitar o compartilhamento de experiências e de sugestões para a gestão do negócio, reunindo profissionais com maior experiência e de diferentes perfis e visões, que já enfrentaram desafios semelhantes.

O conselho consultivo ajuda a gestão no processo de tomada de decisões e geralmente é composto de 3 a 5 pessoas de total confiança, aptas a serem acionadas em alguns momentos ao longo do ano (o que é definido pela governança do negócio).

Vale se atentar que o conselho consultivo não é o mesmo que conselho administrativo. Aliás, em breve, falarei mais sobre essa diferença!

A consolidação da Governança Corporativa em empresas inovadoras e que também pode ser adaptado a qualquer modelo de negócios se dá nos seguintes passos:

  • É estabelecido formalmente um conselho de administração e, se considera neste caso, a adoção de conselheiros independentes;
  • É avaliada a contratação de uma auditoria independente;
  • O relacionamento com investidores é aprimorado;
  • É promovida uma postura ética em toda a organização;
  • É criado um código de conduta e políticas de transações com as áreas de interesse, de contribuições e doações, de comunicação, de prevenção e de detecção de atos de natureza ilícita;
  • Processos essenciais de negócio são sistematizados e é criado um processo formal de revisão e aprovação das estratégias de médio e longo prazo;
  • É estruturado o processo de gerenciamento de riscos e incorporado ao planejamento estratégico;
  • Processos de revisão e aprimoramento da propriedade intelectual são criados;
  • Plano de sucessão para os principais postos da empresa também é criado.

Investindo na consolidação e expansão da empresa

Vale ressaltar que implantar a governança corporativa na organização vai além da adoção de regras, é um meio de consolidar a empresa no mercado e dar subsídios para a sua evolução.

A organização que conta com GC ganha em boa reputação, se torna mais fluida do ponto de vista da gestão como um todo e está apta a galgar novos degraus para a sua expansão em território nacional e internacional.

Não se trata de um modismo, embora muitas empresas ainda encarem desta forma, implantar a GC também representa uma mudança cultural e a decisão de não ser só mais uma empresa no mercado, mas um negócio que está pronto para fazer a diferença e impactar a sociedade na qual está inserido.

Quando a empresa não sabe por onde começar para ter uma governança corporativa, é recomendada a busca por um profissional experiente que ajude na jornada de implantação deste instrumento de controle e expansão tão necessário.

Sua empresa deseja trilhar essa jornada?

 

Gostou do conteúdo? Compartilhe. Lembre-se que na MORCONE Consultoria Empresarial pensamos em cada parte do seu negócio, utilizando metodologias e práticas inteligentes. Atuamos com a implantação da Governança Corporativa e transformamos a mentalidade de gestores para o sucesso.

Veja também:

Qual a importância do Protocolo Familiar na Governança Corporativa em empresas familiares?

Importância do bom processo sucessório empresarial


Compartilhe